Programa De Olho na Cidade

Presidente da CDL cobra celeridade no Pacto de Feira

Lançado há nove meses e depois de ter criado grande expectativa entre os feirenses, o Pacto de Requalificação do Centro Comercial de Feira de Santana, também denominado “Pacto de Feira”, já provoca impaciência entre os empresários da cidade.

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) é uma das 21 entidades que participaram da elaboração do Pacto, cuja execução é de responsabilidade da Secretaria de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico. Mas o próprio presidente da CDL cobra celeridade nas ações.

“Não estamos satisfeitos com a morosidade que o programa vem trazendo. A situação é caótica e demanda uma providência imediata”, disse Alfredo Muller Falcão.
 
Entre os aspectos mais críticos, Alfredo cita a falta de organização nas calçadas do centro, provocada pelo comércio informal. “As posições das classes nunca foram contra a existência dos camelôs, mas o respeito deve ser para todo mundo. Quem conhece a Sales Barbosa vê que ela está impraticável para a atividade comercial. As pessoas estão evitando ir àquele local”, constatou o presidente da CDL.
 
Alfredo acredita que a melhor solução seria a criação de um camelódromo no Centro de Abastecimento - para isso, a prefeitura teria que transferir os atacadistas para outro local. No espaço onde eles estão atualmente, sugere Alfredo, poderia ser criado um terminal de vans que trazem passageiros da região, assim como o camelódromo.
 
A Prefeitura Municipal de Feira de Santana anunciou, recentemente, que fará a transferência dos atacadistas do Centro de Abastecimento para uma área da prefeitura onde será construída uma nova Ceasa. O prefeito não divulgou o local nem a previsão para a construção do empreendimento.

Kleiton Costa

Whatsapp
Google+
Versão Clássica