Programa De Olho na Cidade

Olheiros sugeriram Paulinho e saída de Fred, mas Felipão bancou Bernard

A escalação de Bernard na semifinal vencida por 7 a 1 pela Alemanha foi uma decisão de Luiz Felipe Scolari, que contrariou as sugestões de seu grupo de observadores. Encarregados de analisar os adversários da seleção brasileira na Copa do Mundo, os ex-jogadores Roque Júnior e Gallo entregaram ao técnico um relatório que aconselhava a formação da equipe com Paulinho no lugar de Neymar, e sem centroavante: Fred seria substituído por Willian.

Diante da ausência de Neymar, jogador com maior potencial de decidir uma partida, mas que teve uma vértebra fraturada nas quartas de final, essas modificações visavam a fortalecer o meio-campo, deixá-lo apto a enfrentar os jogadores que são considerados os principais trunfos da Alemanha: Schweinsteiger, Khedira, Kroos, Özil e Müller.

O time sugerido pelos observadores tinha Luiz Gustavo, Fernandinho, Paulinho, Oscar e Willian, e somente Hulk mais adiantado. Com um homem de frente com mais mobilidade, os setores de defesa, meio e ataque ficariam mais próximos. Na véspera da semifinal, Felipão ressaltou o trabalho em grupo.

- Tenho um grupo de trabalho espetacular. O Gallo e o Roque viram detalhes e nos deram confiança de que faremos o correto, nós confiamos. Pelas características, já está escolhido.

Porém, o comandante preferiu seguir sua opinião. Manteve Fred e escalou Bernard, atleta de características mais semelhantes às de Neymar. Ele justificou a decisão pelas jogadas em velocidade, na diagonal, às costas do lateral-esquerdo Höwedes, ponto fraco da defesa alemã.

No mesmo dia dessa entrevista, antes da fatídica eliminação, o técnico testou duas formações na Granja Comary: uma com Paulinho e Daniel Alves, outra com Willian e Maicon, mas ambas com Fred e sem Bernard, que entrou apenas no fim da atividade, no lugar de Oscar. Depois do jogo, ele admitiu que tentou despistar os jornalistas para que Joachim Löw, treinador da Alemanha, não recebesse a informação de sua escalação. E que não treinou com Bernard. Na quarta-feira, de volta a Teresópolis, ele se defendeu.

- Dos 28 jogos em que treinei a equipe, o Bernard esteve em 24 e disputou 18, 17, 16, começando ou entrando depois. Ele sabe perfeitamente como jogamos e sabia de antemão que jogaria.

Na verdade, o atacante do Shakhtar Donetsk, que conquistou Felipão quando ainda vestia a camisa do Atlético-MG e tinha "alegria nas pernas", expressão usada pelo técnico, participou de 13 partidas sob seu comando e fez um gol, contra Honduras, em amistoso no ano passado.

Gallo coordena as categorias de base e treina o sub-20, ou times mais jovens, dependendo do torneio.

Ele atua como observador desde a Copa das Confederações. Já Roque Júnior foi colocado no posto este ano. Ele é velho conhecido de Scolari, que o treinou no Palmeiras e também na seleção brasileira pentacampeã do mundo, em 2002.

Para decidir o terceiro lugar da Copa do Mundo contra a Holanda, no sábado, em Brasília, Felipão poderá fazer modificações o time. Mesmo sem confirmar se continua no cargo após a competição, ele cogita aproveitar a partida para observar melhor jogadores mais jovens, que poderão estar em ação no próximo ciclo da Copa de 2018, na Rússia.

O fato de o confronto não ser contra a Argentina, que venceu a semifinal e se classificou para enfrentar a Alemanha na final, ajuda o técnico a fazer experiências. Um clássico contra o maior rival aumentaria a obrigação de vitória, principalmente depois do vexame do Mineirão.

- Vamos ver se coloco em campo a equipe que perdeu (para a Alemanha) ou se faço uma ou outra modificação para ter uma ideia melhor, no futuro, sobre determinado jogador. Vamos estudar em grupo, não tomo a decisão sozinho, embora a responsabilidade seja minha.

Essa frase foi dita minutos depois de Carlos Alberto Parreira, coordenador técnico que passou toda a entrevista ao seu lado, ter comentado a decisão de não treinar com Bernard e tentar confundir Löw:

- O treinador é quem decide o que fazer nos treinamentos. Ele achou que era importante, nós respeitamos a decisão dele. As informações são do Globo Esporte.
 

Whatsapp
Google+
Versão Clássica