Programa De Olho na Cidade

Mastologista revela qual a porcentagem de cura ao descobrir o câncer de mama na fase inicial

Rafael Marques 
 
O Outubro Rosa, que tem como objetivo promover a conscientização e prevenção ao câncer de mama, começou no início do ano de 1990, nos Estados Unidos. Naquela época, aconteceu, em Nova Iorque, um evento chamado “Corrida pela cura”. A iniciativa tinha o intuito de arrecadar fundos para pesquisa da instituição Susan G. Komen Breast Cancer Foundation.  
 
O médico mastologista, Drz Julio Maurílio, reforçou a importância dos exames de rotina para previnir o câncer de mama.
 
“Quanto antes você realizar o seu exame de mamografia, que é o mais importante na detecção precoce, melhor. É a paciente conhecer a alteração para procurar o seu mastologista”, disse. 
 
Segundo Dr. Julio, a Sociedade Brasileira de Mastologia recomenda que a mamografia seja feita anualmente dos 40 até os 70 anos de idade. No entanto, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) recomenda o exame dos 50 aos 70 anos, com intervalos de até dois anos. 
 
“A gente considera o exame de mamografia a partir dos 40 anos, apesar de que podemos ter muitos casos de câncer de mama em pacientes jovens, então, na sua idade adulta você deve ir com frequência ao ginecologista fazer o exame de rotina, é importante conhecer a anatomia normal do seu corpo”. 
 
Para o profissional em mastologia, ao descobrir o câncer de mama na fase inicial, a paciente possui 90% de chances para obter cura.
 
"Ao descobrir o câncer, aquelas lesões, você tem um índice de cura acima de 90%. Quando descobre já numa fase avançada, a taxa de cura diminui, ela se desenvolve de forma diferente de um organismo para o outro, então, depende muito dessa questão da resposta ao tratamento. Portanto, o diagnóstico precoce é fundamental”. reforçou. 
 
"Hoje temos várias ferramentas e as cirurgias conservadoras são as mais importantes, a gente realiza cirurgias bem menores, com um índice de cura igual a cirurgia que teria indicação de mastectomia, e cirurgias com reconstruções que a gente consegue preservar boa parte da mama e reconstruir, de forma imediata, e garantir um benefício estético que é importante”, disse o doutor. 
 
*Com informações do Setor Saúde e Leo Social
 
Whatsapp
Google+
Versão Clássica