Programa De Olho na Cidade

Nutróloga explica o papel da alimentação na prevenção do câncer de mama

Associados aos exames clínicos a alimentação tem um papel muito importante na prevenção de doenças, que é um passo relevante dentro da conscientização promovida na campanha do Outubro Rosa e os alimentos são grandes aliados dessa perspectiva.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), entre 80% e 90% dos casos de câncer estão associados a causas externas. O que significa dizer que as mudanças provocadas no meio ambiente pelo ser humano, os hábitos e os estilos de vida podem aumentar o risco de diferentes tipos da doença e o câncer de mama também entra nessa conta. De acordo com a médica nutróloga Anne Stephany, uma alimentação saudável contribui não só na prevenção, mas também no tratamento da doença.

“Não posso dizer que através da alimentação a gente pode evitar o câncer, mas sim que uma alimentação saudável, de maneira avassaladora, contribui para a prevenção e prognóstico dessa doença, depois que você já diagnostica o câncer, você melhora a sua alimentação e consegue melhorar muito a taxa de cura que essa doença pode ter.” Afirma.

A médica alerta que muitos alimentos estão associados ao câncer de mama, porém não o alimento em si, mas a forma como ele é consumido, segundo ela é necessário ter equilíbrio.

“Uma alimentação saudável é equilíbrio, não é que a gente nunca mais possa comer coisas ruins, existem alimentos que realmente são péssimos que se a gente puder tirar da nossa alimentação é a melhor opção. Fritura, gordura, açúcar, todos esses alimentos estão mais associados ao câncer de mama, porém não é o alimento em si, mas a forma como ele é consumido, porque o excesso dele causa aumento de peso e essa gordura, principalmente abdominal, gera nas pessoas o aumento de um hormônio chamado insulina e esse aumento não está apenas associado ao diabetes, mas também a diversos cânceres, em especial o câncer de mama.” Pontua.

Dados mostram que 53% da população brasileira estão acima peso, então uma alimentação adequada, rica em fibras, frutas, verduras, bastante hidratação, sem excesso de gordura, açúcar, carboidratos vai ajudar tanto na prevenção quanto no tratamento da doença.

Uma dica dada pela nutróloga é da ingestão de alimentos ricos em ômega 3 para a prevenção do câncer de mama, porém nunca em excesso.

“Aumentar o consumo de alimentos ricos em ômega, desde que não sejam enlatados, vai ajudar, mas também não pode colocar isso em tudo, porque mesmo as coisas que são boas não podem ser demais, então a gente precisa ter um equilíbrio em tudo isso. A sardinha e o atum, são excelentes peixes, ricos verdadeiramente em ômega 3, ricos em cálcio. As pessoas que acham que o consumo exagerado do leite de vaca, que é um alimento extremamente inflamatório que a cada dia mais tem se mostrado um fator de alerta muito grande, além disso os nossos leites industrializados já não são mais aquele leite verdadeiro, e sim compostos de lácteos porque tem uma infinidade de outros produtos inseridos para que haja manutenção, aumente o prazo de validade e tudo isso a gente não sabe ainda o efeito que isso pode gerar na alteração do núcleo celular, consequente mutação da célula e aparecimento do câncer.” Salienta.

O câncer é uma mutação celular e o alimento que é consomido consegue penetrar na célula a nível nuclear e se acoplar a molécula de DNA e alterar essa molécula. O câncer de mama é o mais associado tanto à obesidade quanto a qualidade de sono, que também são coisas intimamente relacionadas.

Whatsapp
Google+
Versão Clássica